Menu
Sorriso digital

Prefeitura Municipal de Sorriso
Avenida Porto Alegre nº 2525 - Centro
Horário de atendimento ao público: das 07:00 às 13:00
(66) 3545 4700
Boas novas

Sorriso fecha junho com quase 450 empregos a mais

Publicado em 03 de agosto de 2020 às 09:28
O resultado está ancorado, principalmente, na agroindústria

“Sentimento bom, de poder, em meio ao caos, mostrar algo positivo, que dê esperança, neste túnel escuro em que a gente está caminhando”, revela o jornalista Bruno Bortolozo, esperando que “logo as notícias boas vão superar as notícias ruins”.

Assim como outros jornalistas de Sorriso, de Mato Grosso, do Brasil, do mundo todo enfim, Bruno também sente o peso da pandemia provocada pelo novo coronavírus. Este sentimento bom foi evocado pela notícia de Sorriso ser destaque na geração de empregos em plena pandemia.

Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia divulgados na semana passada mostram que, em junho, Sorriso teve um saldo positivo de 448 vagas, com 1089 vagas criadas de janeiro a junho. A boa notícia, que Bruno teve a oportunidade de partilhar em rede nacional, foi também divulgada por outros profissionais da imprensa local e regional, destacando que quatro setores foram os responsáveis por mais gente tendo a carteira de trabalho assinada neste período: indústria, comércio, serviços e agropecuária.

Para Cláudio Drusina, secretário de Desenvolvimento Econômico de Sorriso, os números têm relação direta com trabalho promovido pela Prefeitura na reabertura da economia durante a pandemia, com foco sempre no equilíbrio entre a saúde e a manutenção de empregos. “Ainda no início da pandemia, lá em março, muitas empresas acabaram reduzindo seu contingente de pessoal e houve inclusive, uma redução de consumo em vários setores, o que foi sendo estabilizado com a reabertura alicerçada nos planos de contingência”, explica, contextualizando ainda que a agroindústria também contribui decisivamente para os bons números. “A colheita do algodão, as usinas de etanol de milho e a classificação dos secadores de grãos como agroindústria também estão na lista dos responsáveis pelo resultado”, enumera.

A expectativa para 2020 é ainda mais positiva. “Antes da notícia da pandemia, a projeção era de que 2020 representasse um incremento de até 4 mil vagas no município por conta da industrialização”, comenta, ponderando que agora é preciso acompanhar os números com base na equação combate à pandemia + preservação da economia.

O empresário do ramo frigorífico Aléssio Di Domênico, reforça que março foi realmente o período mais crítico. “Foi o momento de decisão”, ressalta, referindo-se à necessidade de afastar os empregados do grupo de risco. No caso da empresa de Aléssio, no lugar dos 45 afastados, que seguem recebendo seus salários normalmente, foram contratados outros 60 trabalhadores, permitindo assim manter a produção estável.

“É notório este esforço da classe empresarial, e aí eu também acrescento o ramo do agronegócio, na preservação dos empregos no município neste período completamente atípico, em que o mundo inteiro sofre com a Covid-19”, analisa o prefeito de Sorriso, Ari Lafin. Para o gestor, o trabalho integrado entre diversos setores, como ACES, CDL, Sindicato Rural e os poderes constituídos, como o Legislativo e o Judiciário; a cooperação entre e público e o privado, e o foco na preservação da vida com a sustentação da economia devem ser os pilares para que Sorriso possa avançar no combate à Covid-19 de maneira sustentável em todos os setores.

“Estamos disponibilizando toda a estrutura para a detecção de casos e seu rápido tratamento, investindo na oferta de equipamentos que tem demonstrado resultados positivos e lutando para a conquista de novos leitos de UTI ao mesmo tempo em que reforçamos o trabalho na sensibilização das pessoas para o cumprimento das medidas restritivas, de maneira equilibrada e focados na estabilização, e consequente redução do número de casos da Covid-19 no município”, pontua.

Imagens
Texto: Nádia Mastella
Fotos: Decom